segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Carnaval, Sata e ... Aeroportos dos extremos do canal!


O carnaval é uma festividade que teve origem á vários séculos atrás e que é um processo evolutivo do “carnaval” que remonta à antiguidade, nomeadamente, à Mesopotâmia, Grécia e Roma.
A sua origem provém do latim “carnis levale”, que significa retirar a carne e que está relacionada com o período de jejum que deveria ser realizado durante a quaresma, ou, com o controlo dos prazeres mundanos. Na antiga Babilônia, existia uma festa (Saceia), que tinha como principio um prisioneiro assumir durante alguns dias a figura do Rei, terminando esta com o seu enforcamento ou empalhamento. Existia também o ritual que ocorria no templo de Marduk, onde o rei perdia todos os seus poderes e era surrado na frente da estátua divina como uma forma de o humilhar e demonstrar a sua submissão à divindade, assumindo novamente e logo de seguida a sua posição no trono. Estes dois rituais, se bem analisados, apresentam uma verdadeira subversão de papeis sociais, os mesmo que ainda hoje podemos encontrar no nosso carnaval.

Hoje, por todo o mundo, mais do que fantasias, máscaras de carnaval ou subversões dos papeis socias, esta época veste-se de Sátira política e social. E como não seria de esperar, as ilhas do Pico e do Faial não foram exceção a este novo modelo carnavalesco.








O investimento para as melhorias do AEROPORTO foi o tema principal para estas duas ilhas e outra coisa não seria de esperar, ou não fosse este o tema mais quente da atualidade e provavelmente o tema a ser mais falado nos futuros mais próximos.

Com sorrisos e através de cortejos, aproveitou-se para se dizer o que se sente e o que lhes revolta. Na ilha do Faial, apresentou-se uma demonstração de indignação pelos “transferes do Pico”, e em tons de brincadeira (mas a falar seriamente) demonstraram e bem a sua posição quanto a qualquer alteração no aeroporto da Horta. O Pico, por sua vez e entrando na brincadeira, colocou no cortejo o avião da Sata e respetiva tripulação que serviria para transportar os passageiros do Transfer do Faial daqueles voos em que a Sata não conseguisse operar no aeroporto da Horta.

Mas não só de cortejos viveu este carnaval em que a própria Sata pregou a sua “partidinha”...

É que numa altura em que a Sata anunciou que os voos diretos entre Pico e Lisboa não teriam escala na terceira, sou confrontado com o voo de sábado (25 de Fevereiro) a ter de sofrer uma paragem técnica. Mas não foi uma qualquer questão técnica, foi uma questão de força maior (tal como afirmou uma das assistentes de bordo), de tal força maior que correspondia a uma equipa inteira de futebol, mais especificamente o Angrense!


Mas bom bom é saber que a brincar a brincar se vai dizendo as verdades, e que a velha máxima de que “É carnaval ninguém leva a mal” não é tão verdade assim, ou não fossem também verdade as várias reações ao cortejo da Madalena.

Sem comentários:

Enviar um comentário