Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2015

E agora Europa?

Depois de um período conturbado no relacionamento entre a Grécia e os restantes países da União Europeia, os gregos decidiram voltar novamente a apostar no partido Syriza. Porquê? Simplesmente porque a europa tal como hoje a conhecemos tem no cerne da sua existência uma política de desigualdade e de exploração dos seus parceiros mais fracos. O solidarismo apregoado no passado simplesmente desvaneceu-se, sobrando entre os parceiros europeus, o simples sentimento de desconfiança com que hoje nos deparamos.  Os gregos começam a dar o mote para o desmembramento da Europa, o elo de ligação à União Europeia é cada vez menor e cada vez mais frágil. Os gregos mostraram novamente que a europa está doente e que nos moldes em que hoje se encontra é “imprópria para consumo”. A população quer uma mudança, quer algo que os defenda e os represente de forma fiel. Contudo, a parte negativa deste sentimento é o facto do aparecimento de forças “sobrenaturais” que os encaminham para uma política fascist

Um tema delicado!

Hoje teria imensos temas sobre os quais poderia falar, temas todos eles diferentes, todos eles importantes. (i) Poderia falar da vitória do Bote Santo Cristo II na prova de botes baleeiros da ilha do Pico na modalidade desportiva de Vela, uma vitória contra tudo e contra todos e   que permitiu à freguesia de São João arrecadar pelas mãos do oficial Lídio o seu primeiro grande troféu desde que possuem um bote baleeiro; (ii) Poderia falar da precariedade cultural que têm sido os constantes programas   e debates eleitorais que têm antecedido às eleições que terão lugar a 4 de outubro; (iii) Poderia falar das promessas não cumpridas por parte de Juntas de Freguesia, demonstrando que a palavra dada em determinado acordo de nada valem. De juntas de freguesia que sendo entidades públicas deveriam dar o exemplo da seriedade mas que teimam em não ter a noção do seu real peso na vida e na formação dos seus habitantes (iv) Poderia falar da Semana dos Baleeiros, da procissão marítima da Nossa Sr

Festa em honra da nossa Senhora de Lourdes – Abertura das Festividades!

Na minha primeira visita à ilha do Pico, tive o prazer de ver na abertura da Semana dos Baleeiros, o Grupo Coral das Lajes do Pico. Nessa altura, era o Maestro Emílio Porto o responsável pelo grupo coral, um homem com quem prezei trocar algumas palavras e poder ter algumas conversas, um homem que tive o prazer de o observar em vários espetáculos e que, continuaria a ter esse prazer não fosse os infortúnios da vida o terem levado retirando-me assim essa possibilidade.

A novela grega contínua...

Afinal parece que a novela grega contínua, parece que Varoufakis até tinha razão em desconfiar dos credores e dos supostos parceiros europeus. Afinal, parece que todas aquelas acusações “sem nexo nem sentido” do mal comportado ex-ministro das finanças grego até que eram fundamentadas.   Por incrível que possa parecer, um dos maiores executadores da austeridade europeia, a Alemanha, teve mesmo um beneficio económico em perpetuar a crise grega durante todos estes anos (de 2010 a 2015). Um beneficio que chega mesmo a atingir os 100.000.000.000€ (cem mil milhões de euros) só em poupança dos juros da sua dívida. Valor de beneficio tão elevado que continuaria a ser positivo mesmo que a Grécia não pagasse as suas dívidas. Aliás, estudos apontam mesmo para um sentido inversamente proporcional entre o bem estar grego e a taxa de juro da divida alemã, ou seja, quanto pior a Grécia estava menor era a taxa de juro que a Alemanha tinha que suportar pela sua dívida e, quanto mais estável ficava a

Respeito por quem trabalha!

As Festas da Madalena tiveram tudo o que uma grande festa exige. Colocaram no Guiness a maior Chamarrita com 544 “bailadores”, um cartaz de artista do topo do panorama nacional que vai desde Os Capicua, a Pedro Abrunhosa e incluindo Mickael Carreira. Uma tenda com dois dos maiores nomes da música   eletrónica portuguesa reconhecidos internacionalmente, Mastiksoul e Diego Miranda, entre tantas outras animações com que os seus visitantes foram presenteados, como por exemplo, as Marchas Populares, as provas de Triatlo e de Vólei de Praia, as provas de Vela Ligeira, de Motonáutica e até de Trial, entre tantas outras animações. As ofertas foram deveras imensas, o que permitiu que a sua duração fosse sem dúvida, vivida intensamente pelas milhares de pessoas que por lá passaram. Mas quem também viveu períodos intensos durante as Festas da Madalena, foram os utentes da transportadora marítima Transmaçor. Períodos que se iniciaram na véspera de sexta-feira e que levaram ao presente as

Precisamos é de um país totalmente novo!

Vivemos numa era de estigmas e preconceitos que tendem a ser personificados, de pessoas que se deslumbram com sensações imensuráveis de poder inexistente, de opressões e discriminações para com pessoas que de tão iguais que são, demonstram uma necessidade extrema de se mostrar diferentes. Vivemos numa era de reinar por imposição do medo, da incerteza e do desrespeito. Vivemos numa era de mentiras e injúrias, de difamações sociais e de momentos em que o valor da palavra vale tanto como um simples e impetuoso suspiro, e isto é tão válido na vida pessoal como na vida política.