domingo, 26 de novembro de 2017

Dia de Santa Catarina - Ermida de Santa Catarina, Lajes do Pico.


Ontem, dia 25 de Novembro, celebrou-se o dia de Santa Catarina, mártir e santa cristã nascida em 287 d.C. na Alexandria, no Egipto.

Nas Lajes do Pico, a Ermida de Santa Catarina que se encontra no alto da colina, abre as suas portas durante este dia para celebrar a missa em honra da santa que lhe dá o nome.

Esta Ermida, foi construída no terreno mais alto e sobranceiro ao centro da Vila das Lajes, mesmo por cima da costa do Lajedo, com vista para as Lajes, para a Montanha e para as várias freguesias da zona sul da ilha, incluindo, a freguesia da Prainha, local onde a imagem de Santa Catarina foi encontrada por pescadores.



Por uma questão de magnitude, a figura foi na altura levada para a igreja mais imponente da ilha, a igreja do Convento dos Franciscanos. Contudo, e segundo reza a lenda, a imagem desapareceu e sem ninguém lhe ter tocado foi encontrada novamente na Ponta da Prainha. Esta situação, repetiu-se tantas quantas as vezes que colocaram a imagem da Santa Catarina no Convento, e nesse sentido, não querendo os lajenses separar-se da imagem, construíram uma pequena ermida onde a santa pudesse repousar sossegadamente ao ver a freguesia que tinha escolhido. Mas foi no interior da ermida onde foi construído o altar da Santa Catarina, e não tendo vista para além das paredes da ermida, a santa continuou a desaparecer e a ser encontrada no mesmo local onde os pescadores a viram pela primeira vez.



Aí, numa das várias vezes em que “realojaram” a imagem da Santa Catarina na ermida, idealizaram que o ideal seria abrir uma pequena frecha que permitisse à Santa ver a freguesia da Prainha, e assim o fizeram.

Após a alteração na ermida, que ainda hoje é visível, a Santa Catarina pode por fim, de uma forma satisfatória, descansar no seu deslumbrante altar feito de madeira pintado à mão enquanto olha através da pequena janela, a freguesia que escolheu, a freguesia da Prainha.  



Lenda da Santa Catarina


Numa visão, Catarina foi transportada para o céu e encontrou-se com Jesus e Virgem Maria, e em êxtase, casou-se de forma mística com Cristo convertendo-se assim ao cristianismo, tinha na altura 18 anos. Após a sua conversão, Catarina tentou travar a perseguição do imperador romano Maximiano aos cristãos tentando convence-lo do seu erro moral.

Diz a lenda, que a 15 de Novembro do ano 305 d.C., Maximiano mandou prender Catarina e ordenou aos 50 maiores sábios que a envergonhassem na sua crença ao seu Deus, sob pena de morte ou de grande recompensa consoante os seus resultados. Contudo, Catarina foi sábia nas suas argumentações e conseguiu não só argumentar contra os maiores sábios da atualidade como também os conseguiu converter ao cristianismo, o que lhe permitiu ficar na história como a grande intelectual do século IV. Frustado, o imperador Maximiano mandou prender e torturar Catarina na masmorra, mas quando visitada pela esposa do imperador e pelo seu guarda, Catarina conseguiu também os converter. Nesse momento, o imperador Maximiano mandou assassinar todos os sábios e a esposa e lançou os guardas aos leões no Coliseu. Catarina foi condenada à morte lenta na roda, mas ao fazer o sinal da cruz, este instrumento de tortura quebrou-se. Ao ver tal acontecimento, Maximiano ordenou que decapitassem Catarina fora da cidade, mas no momento da decapitação, em vez de sangue, o seu corpo escorreu leite e o seu corpo foi levado por anjos para o topo do monte Sinai.

Três séculos mais tarde, o seu corpo, incorrupto, foi encontrado e levado por monges para o mosteiro da Transfiguração onde o seu nome e as suas relíquias permanecem até hoje.

Foi a voz de Santa Catarina  que foi ouvida por Joana D’Arc quando esta encontrou a espada que usaria na sua missão que mudou a história de França. 


Santa Catarina, é assim considerada a padroeira dos estudantes, dos filósofos, dos moleiros, dos ceramistas, dos fiadores dos jovens, das mães que amamentam e dos bibliotecários.

Sem comentários:

Enviar um comentário