quarta-feira, 21 de março de 2018

Aeroporto do Pico: que comichão tremenda!



Parece que divergir voos do aeroporto do Faial para o aeroporto do Pico permitindo que os seus passageiros cheguem ao destino no mesmo dia em que estava estipulado é pior do que divergir para outra qualquer ilha
e ter de permanecer mais uma noite fora ou mesmo não sair do local de partida! Afinal, a “complementaridade” apregoada nas petições só é viável se for para divergir do Pico para o Faial, pois pela leitura que se vai fazendo no universo das redes sociais parece que o inverso quase que dá uma nova espécie de urticaria a certas pessoas que tanto a apregoam quando na verdade mais parece que a querem “destruir”, e, infelizmente, viu-se outra vez durante a manifestação para as melhorias das condições do aeroporto do Faial durante o dia de hoje (21 de Março de 2018), com o célebre cartaz «Viagem a Lisboa = Check-in na Horta + Viagem de autocarro + Viagem de barco + Embarque no Pico»



Ter o Pico ou o Faial como uma alternativa à impossibilidade de aterrar face ás questão climatérica, deveria no fundo ser visto como um factor de extrema importância para potenciar o mercado do turismo «triangular» e não para alimentar as típicas guerras de bairrismo que têm mês após mês sido transformadas quase em discussões clubísticas de equipas rivais. "Guerrinhas", que na melhor das suas hipóteses, dão apenas temas de conversa aos meios de comunicação social, que com estas “teorias da conspiração” promovem as famosas noticias de sangue com que vão vendendo os seus jornais!

Tal como em tantos outros temas, parece que a tomada de decisão de uma qualquer alteração por via da segurança só é viável se não implicar com as nossas casas, e se implicar, eis que o tormento nasce!

Aconteceu esta semana com o voo do A320 que por questões de nevoeiro em vez de aterrar no Faial divergiu para o Pico, um voo que pelos mais entendidos na matéria seria certamente necessário fazerem um desenho ao piloto para lhe explicarem certamente como aterrar no Faial, ainda para mais, quando o Dash 400 aterrou sem qualquer problema e com muito menos condições. Não tardou muito para aparecerem as teorias da conspiração que acabaram mesmo por me esclarecer que afinal, o Presidente da AMIT, até tem poderes de tal ordem de grandeza que lhe permitem subjugar a SATA aos interesses do Pico!


Infelizmente, aquilo que vinha sendo feito de forma cuidada e construtiva, como era o caso das defesas das condições e melhorias dos aeroportos do Faial e do Pico, têm-se banalizado e tornado mais num braço de ferro onde tudo se pode dizer e fazer, sem olhar a meios e sem nos preocuparmos com quem na verdade afectamos, como foi o caso dos bombeiros, os nossos Soldados da Paz!




Esta não é a forma de reivindicar aquilo que defendemos, não é forma de mostrar que merecemos mais e melhor, e enquanto mantivermos esta postura de “claque” com visão obtusa, ganharão todos menos nós, os habitantes do triângulo!

7 comentários: