quarta-feira, 14 de junho de 2017

Crise no Aeroporto do Pico?









O mês de Maio foi, segundo a publicação da SREA «Movimento de Passageiros Aéreos – Maio 2017», um mês de “crise” para o Aeroporto do Pico. Por este aeroporto passaram menos 7,42% dos passageiros quando comparado com o fluxo de passageiros no período homólogo de Maio de 2016. Segundo a mesma publicação, o Pico foi mesmo o pior aeroporto da Região Autónoma dos Açores, ficando muito aquém dos 25% de crescimento das Flores, dos 22% de crescimento em São Miguel ou mesmo dos 6% de crescimento do aeroporto da ilha do Faial.

Mas numa abordagem mais pormenorizada, a “crise” que se julga sentir no Pico, acaba mesmo por não ser crise nenhuma!

É que na mesma perspetiva de análise, se compararmos a variação percentual do número de aviões, verificamos que o Pico recebeu em Maio de 2017 menos 7% dos voos que recebeu em Maio 2016, e em boa verdade, falamos de voos que divergiram para o Faial, voos cancelados por causa de greves ou voos que foram cancelados pelas mais variadíssimas razões. E através da abordagem entre o número de passageiros e o número de voos, e mantendo o mesmo período de comparação, conseguimos verificar que afinal, a variação foi de apenas -0,54%.

Mas passemos a abordar os resultados do aeroporto do Pico desde começo do ano de 2017 .

Se começarmos a analisar os números desde 01 de Janeiro de 2017, verificamos que o Pico, a par com São Jorge, Graciosa e Santa Maria, foram os únicos aeroportos com variações negativas no número total de voos recebidos face a 2016, e que mesmo assim, continuam a apresentar variações positivas no número de passageiros desembarcados. É também importante referenciar que os Açores, com exceção do Corvo e de São Miguel, apresentam uma variação no número de passageiros superiores às variações dos números de voos, o que demonstra efetivamente a procura ainda crescente por estes destinos.
 
 
Variação de Passageiros e de Aviões no período de Janeiro-Maio de 2016 e 2017
 
Importa também referir que o Pico, é durante o período de Janeiro a Maio a segunda Ilha com melhor taxa de ocupação de toda a Região Autónoma dos Açores e a primeira das Ilha sem acesso às Low Cost ficando à sua frente apenas a Ilha de São Miguel.
 
 

 
Taxa de ocupação média dos aviões durante o período de Janeiro a Maio
 
 
Por outro lado, podemos também verificar que o impacto das low cost em São Miguel, e apesar do crescimento do número de passageiros ser positivo, começa a apresentar-se numa fase decrescente, onde as variações negativas no número de passageiros por voo começam a tornar-se um padrão (exceção ao mês de Abril), mas sempre abaixo da média da Região Autónoma dos Açores. Em sentido inverso, o Pico, à exceção do mês de Maio, apresentou-se sempre com variações superiores a média da Região Autónoma dos Açores, permitindo-lhe um crescimento de quase 4% ao mês! 
 
 
Variação percentual do número médio mensal de passageiros por voo durante o período de Janeiro a Maio
 
 
 
Mas voltemos à  suposta crise do aeroporto do Pico. 
 
O Pico teve entre Janeiro e Maio deste ano e quando comparado com o período homologo:
 
- menos 1% dos voos;
- mais 6% de passageiros (mais 3 a 4 passageiros  em média por voo);
- um crescimento acumulado de 18%;
- e valores percentuais superiores à da média da Região Autónoma dos Açores;
 
Pelo que só me resta dizer que se isto é crise…
 
 

 
 




=====
Fontes
Imagem: Blog o Pico e os Aviões
Gráficos: Produzidos pelo autor através dos dados publicados na página oficial da SREA, boletim de Maio de 2017.

5 comentários:

  1. Mais uma vez, parabéns pela excelente análise!
    Os números podem ser enganadores à primeira vista e, por isso, merecem este tipo de escrutínio, de forma a mostrar que "a crise não aterrou" na ilha montanha!
    Haja saúde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ivo,
      Obrigado mais uma vez pelo teu Feedback aos artigos.
      É cada vez mais importante analisar-se os números de uma forma cuidada e mediante uma abordagem alternativa tal como tu também o fazes tão bem no blog Cais do Pico.
      Estas pequenas abordagens são essenciais e o Pico merece!

      Um abraço

      Eliminar
    2. Agradeço as palavras e partilho também uma análise que acabo de fazer a cada ilha dos Açores relativamente aos dias de julho e agosto com os voos todos esgotados:
      http://www.caisdopico.pt/2017/06/o-novo-isolamento-das-ilhas-acorianas.html
      Mais uma vez se comprova que "crise" aérea não existe Pico, mas sim que a ilha montanha é aquela onde a procura supera mais vezes a oferta.
      Haja saúde!

      Eliminar
  2. Nestas análises, o que realmente interessa é o nº de pax's.
    cumpts

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde,
      Infelizmente a análise apenas pelo número de passageiros dada a divergência de realidades não é de todo o melhor indicador. Torna-se impossível comparar aeroportos apenas pelo número de passageiros quando uns teem apenas três voos semanais e outros catorze ou até mais, dai a necessidade de usar rádios e percentagens de ocupação.

      Mais uma vez o meu obrigado pela sua opinião.

      Um abraço

      Eliminar